Alô, PM! Mais uma loja é roubada em Casimiro e população já sente os efeitos da falta de efetivo

0
130
Casal foi flagrado pelas câmeras de segurança furtando a Loja Okay, no centro de Casimiro (Foto: Casimirodeabreu.com)

Pouco tempo depois do assalto ocorrido na loja Pega Mania, o município de Casimiro de Abreu voltou a sofrer com a ação de ladrões. Dessa vez, a vítima foi a Loja Okay, localizada em frente à Praça Feliciano Sodré e furtada na noite desta terça-feira (30).

Assaltos, roubos, saques… Palavras que antes eram raras na cidade e que, a cada dia, incorporam-se mais ao vocabulário da população. A crise no Estado do Rio de Janeiro explica, e muito, o aumento da violência, não só em Casimiro, mas em todos os municípios fluminenses.

O cenário de guerra na cidade do Rio fez com que policiais militares fossem deslocados do interior para suprir o déficit de agentes na capital. A lógica do cobertor curto entrou em ação: quando o governador Pezão resolveu transferir parte do efetivo, acabou desguarnecendo os municípios menores, que viram suas taxas de criminalidade subirem consideravelmente.

As prefeituras tentam amenizar a situação dentro de suas possibilidades, acionando a Guarda Municipal e solicitando “empréstimo” de policiais de cidades vizinhas. Moradores já se organizam para instalar câmeras de segurança e criam grupos de whatsapp para denunciar e avisar a respeito de possíveis ameaças.

Embora não seja competência municipal, as prefeituras têm assumido, de forma emergencial, alguma atribuições do estado na segurança pública. A situação, no entanto, deve (e tem que) ser passageira. É preciso que o governador e a PMERJ pensem numa solução o mais rápido possível, para não prejudicar, ainda mais, a qualidade de vida dos moradores dos municípios do Rio de Janeiro e, em especial, de Casimiro de Abreu.

 

 

Comentários