Conselho Municipal de Educação acaba com sistema de aprovação automática em Casimiro de Abreu

0
2813
Secretária Nicia Araujo ajudou a promover alterações no sistema público de ensino em Casimiro.

Na última reunião do Conselho Municipal de Educação de Casimiro de Abreu, realizada nesta terça-feira (28), uma importante medida foi tomada pela secretaria da pasta: a aprovação do fim do Ciclo Básico de Alfabetização, que estava em vigor desde o ano de 2001.

Dentre as mudanças, destaca-se o encerramento do sistema de aprovação automática, que já era criticado por docentes e pais de alunos há algum tempo. Segundo a secretária de Educação Nícia Araujo, alguns alunos chegavam ao quarto ano do Ensino Fundamental com graves deficiências na alfabetização.

– O Ciclo Básico de Alfabetização cumpriu sua missão durante muitos anos, mas estava na hora de mudar. Acreditamos que, com essa medida, vamos gerar avanço para a educação municipal, a partir de um acompanhamento mais efetivo dos processos de aprendizagem e de avaliação – disse Nicia.

O que muda

A partir de agora, as turmas serão organizadas por anos de escolaridade, do 1º ao 9º. Em 2018, se encerra a aprovação automática, que estava em vigor para alunos do 1º ao 3° ano de escolaridade, baseado no entendimento de que as crianças de 6 a 8 anos (1º ao 3º ano) possuem diferentes tempos de desenvolvimento e que devem estar alfabetizadas e letradas ao final do 3º ano.

No sistema de avaliação, os alunos passarão a ter notas bimestrais (2º ao 9º ano) por área de conhecimento e não mais por Avaliação Integrada como antes (o 1º ano será avaliado através de diagnóstico e de avaliações contextualizadas).

Críticos do sistema de aprovação automática estão ganhando voz em diversos municípios do Brasil. Tentado de forma experimental, o modelo acabou não vingando e permitiu que alunos chegassem às séries mais avançadas com severas dificuldades para ler, escrever e interpretar. A aprovação automática gerava uma bola de neve de defasagem de conhecimento, além de permitir certo relaxamento dos alunos, já que eles sabiam que, independente do desempenho, passariam de ano.

Especialistas em educação afirmam que a cobrança feita pelas avaliações levam os alunos a ler e compreender os textos corretamente. Com a mudança, espera-se que esses diagnósticos positivos sejam rapidamente vistos no ensino público municipal de Casimiro de Abreu.

Comentários