Pregando união e ajuda, audiência sobre segurança pública lota Câmara Municipal em Casimiro

0
258

Na tarde desta segunda-feira, foi realizada, na Câmara Municipal de Casimiro de Abreu, uma audiência pública conjunta sobre a segurança pública na cidade. Idealizada pelo CCSP de Casimiro, o evento contou com a participação da Comissão de Segurança Pública e Assuntos de Polícia e da Comissão de Assuntos Municipais e de Desenvolvimento Regional, ambas da Alerj.

As deputadas estaduais Martha Rocha e Marcia Jeovani conduziram o debate, que contou com a presença de vereadores, policias militares, guardas municipais, membros de conselhos comunitários de Casimiro e de outros municípios vizinhos, além de membros da sociedade civil.

O bom público que compareceu à Casa não chega a surpreender: uma das maiores queixas da população casimirense, nos últimos tempos, tem sido a insegurança.

– Os moradores estão perdendo a noção de segurança. Existem denúncias recentes de adolescentes flagrados com drogas dentro das escolas, tráfico dentro das unidades escolares – contou Rafael Jardim, presidente da Câmara dos Vereadores.

Um dos discursos mais marcantes foi o do pastor Rafael Vieira. Presidente da Igreja Batista e diretor do CEB, o pároco pediu ajuda às deputadas no combate à violência em Casimiro.

– Se tratarmos os policiais militares, guardas municipais e cidadãos de bem como adversários, estaremos promovendo o enfraquecimento da segurança em nosso município. Não dá para aceitar que as pessoas estão reclamando de blitz que cumprem seu papel. Não dá para aceitar que uma viatura deva andar 120 quilômetros apenas para abastecer. Não dá para aceitar que um policial civil tenha que ir até Araruama para fazer um exame de corpo de delito. Frequento as reuniões há mais de 20 anos e já tentei de tudo. Nos ajudem, deputadas – disse o pastor, arrancando aplausos dos presentes.

Palavra-chave: União
A listagem dos problemas pelas autoridades presentes, como a falha eletrônica no cadastramento de ocorrências ou a falta de investimentos em monitoramento, levava sempre à mesma solução: união. O tom uníssono foi de que, independente da dificuldade, as entidades que cuidam da segurança pública, aliadas à população, devem trabalhar de forma conjunta e integrada.

A deputada estadual Márcia Jeovani ressaltou a importância do investimento na educação no combate à criminalidade.

– Segurança não é só dar uma arma na mão do guarda e mandar ele “se virar”. Existe todo um treinamento, físico, psicológico, não são todos que andam armados… Precisamos desmistificar essa ideia. Acredito muito no investimento em educação, lazer, esporte cultura. Tirando os jovens da rua, teremos segurança. Como pontou a deputada Martha, a
criminalidade média começa aos 12 anos. Se tivéssemos dado prosseguimento aos Cieps lá de trás, talvez as coisas não estivessem assim. Educação é peça-chave, não dá para jogar a segurança na mão do guarda 100%.

A audiência foi transmitida ao vivo pela página da Câmara Municipal no Facebook.

Comentários