Ministério Público pede prisão do deputado estadual Paulo Melo

0
298
Paulo Melo mantém relações estreitas com políticos do Leste Fluminense (Foto: Facebook).

Figura conhecida em Casimiro de Abreu e em todo o Leste Fluminense, o deputado estadual Paulo Melo (PMDB) está diretamente envolvido no gigantesco esquema de corrupção desvendado pela Operação Cadeia Velha, da Polícia Federal. O Ministério Público Federal pediu a prisão de Melo na última terça-feira (14), mas a decisão só será conhecida hoje (16), já que o processo está nas mãos do Tribunal Regional Federal.

A operação, que é um desdobramento da Lava Jato, investiga pagamentos de propinas a agentes públicos pela Federação das Empresas de Transporte de Passageiros do Estado do Rio de Janeiro (Fetranspor). O deputado seria um dos articuladores do esquema de aprovação de projetos favoráveis aos empresários que pagavam as vantagens indevidas, além de exercer pressão para aprovar as contas dos governadores, independente dos pareceres técnicos contrários emitidos pelo Tribunal de Contas do Estado (TCE-RJ).

MPF indica que Paulo Melo recebeu cerca de R$55 milhões em propinas (Foto: MPF)

Segundo a investigação do Ministério Público Federal, Paulo Melo, chamado de “Pinguim” na planilha de pagamentos, recebeu cerca de R$55 milhões em propina da Fetranspor. O pagamento era feito pelo doleiro Álvaro Novis.

Influência na região

Na última terça-feira (14), a PF apreendeu documentos, HDs e um celular em imóveis de Paulo Melo, em Saquarema, durante o cumprimento de mandados de busca e apreensão contra o parlamentar. Natural da Região dos Lagos, Melo foi o quinto deputado estadual mais votado na última eleição, obtendo cerca de 126.000 votos.

Comentários