Grupo “Tá Rolando” oferece aulas grátis de patins e promove ações sociais em Barra

0
1332
Patins coloridos tomam conta de Casimiro de Abreu: é o grupo "Tá Rolando" (Foto: Adelson Design).

Uma família apaixonada por patins que, mesmo com todas as dificuldades de infraestrutura, resolveu apostar no esporte. O casal Pardal (49 anos) e Karem (30), ao lado da filha Sarah (12), começou a patinar sozinho na antiga, e até então abandonada, praça do bairro Santa Irene, reinaugurada pelo prefeito Paulo Dames na última sexta (10).

– Alguns dias depois de iniciarmos a prática, começaram a aparecer simpatizantes e curiosos. Para mantermos o contato, tive a ideia de criar o grupo. Como a gente sempre ligava um para o outro e perguntava “o que tá rolando?”, resolvi batizar o grupo de “Tá Rolando” mesmo – diverte-se Pardal, que é operador de controle de lastro e morador de Barra de São João.

Algum tempo depois, Adelson (31), grande amigo da família, juntou-se ao grupo; depois, patinadores de cidades vizinhas começaram a aparecer. No final, mais ideias foram surgindo para incrementar a iniciativa, apesar da patinação se manter como carro-chefe.

– A patinação foi escolhida pelo fato de ser um esporte prazeroso e que só traz benefícios à saúde, além de proporcionar sociabilidade. Nós também promovemos ações sociais, não muito grandes, já que não temos patrocínio, mas já ajudamos algumas famílias com mantimentos. Quando a gente sabe de alguém que está precisando, nos reunimos e vemos o que dá para fazer. Neste inverno, por exemplo, ajudamos algumas pessoas sem teto e moradores de rua – conta Pardal.

As atividades do “Tá Rolando” não param por aí. Para os organizadores, vale tudo para tirar a galera de frente do computador, videogames e dos celulares, levando um pouco da atenção para a interação pessoal.

– Promovemos passeios e piqueniques retrô, com brincadeiras de antigamente: pular corda, pique-bandeira, taco, pique-cola, pique-ajuda etc. Ontem mesmo (12), promovemos um piquenique retrô no Praião de Barra de São João.

Para o futuro, o grupo não pensa em cobrar pelas atividades ou algo do tipo.

– Não cobramos pelas aulas e nem pretendemos cobrar no futuro. A única coisa que “cobramos” é a passagem quando fazemos algum passeio. A gente aluga uma van, como fizemos mês passado em Copacabana, e dividimos o valor total da van pelo número de passageiros. Se por acaso aparecesse um patrocínio, pelo menos para cobrir o transporte, não cobraríamos nada – ressalta Pardal.

Para quem tiver interesse em conhecer ou até mesmo participar do “Tá Rolando”, o grupo se reúne todas as quartas-feiras, na Praça Santa Irene, a partir das 19h. No local, há aulas desde o básico até o intermediário da patinação, incluindo o semi-avançado. Todos os patinadores são convidados a participar do “Urban”, que consiste em um passeio de patins pelas ruas da cidade.

 

Comentários