Sociedade Musical Santa Cecília completa 72 anos de tradição, música e muita história em Barra de São João

0
447

Considerada de utilidade pública municipal e também estadual, a Sociedade Musical Santa Cecília, em Barra de São João, é hoje patrimônio imaterial de Casimiro de Abreu. Com 72 anos de existência, a Sociedade foi criada em 14 de outubro de 1945, sendo a instituição mais antiga do município.

Já participou de vários encontros de bandas no Rio de Janeiro, Espírito Santo e Minas Gerais. Atualmente sua sede pode ser alugada para eventos, como casamentos, aniversários, entre outros.

Com um repertório variado, a escola de música evoluiu no tempo, mas sem abandonar sua história. Quando toca seus variados ritmos, todos se embalam nas valsas, maxixes e dobrados, além de outros mais recentes, como os baiões, xotes e sambas, que não deixam ninguém parado.

Suas apresentações são das mais ecléticas: tocam arranjos para composições eruditas, como a Sinfonia Fosca de Carlos Gomes, como também a Bela Adormecida de Tchaickovsky.

Atualmente com 15 integrantes, a Banda da Sociedade Musical Santa Cecília se apresenta em festas juninas, desfiles cívicos, eventos culturais e também populares. Carrega um título honroso para uma banda de interior, pois nos anos 80, se destacou por chegar ao grupo de elite dos concursos de bandas, ficando entre as oito melhores bandas do Estado do Rio de Janeiro. Também por já ter tocado em palcos de renome como a Sala Cecília Meireles e o Teatro João Caetano, no Rio de Janeiro.

Segundo a vice-presidente da Sociedade Musical Santa Cecília, Márcia Guedes Soares de Azevedo, todo o trabalho da casa foi sempre em prol da comunidade.

– Estou aqui há quase 30 anos e com todo esse tempo, eu e o presidente Aluísio Silva, trabalhamos para a melhoria da Sociedade. Conseguimos voltar com as aulas de música que ficaram um bom tempo paradas, isso foi em 2012, quando fui presidente. Tivemos um ganho favorável com a volta da professora Regina Maial. “Cria” da casa, ela voltou a morar em Barra de São João e também para a banda, onde faz um bonito trabalho voluntário.

As aulas são gratuitas e atualmente só é pedido uma ajuda de custo para as despesas mensais da Sociedade.

– O que a gente pede aos alunos é somente uma ajuda de R$ 20 por mês, de cada um. Hoje uma aula particular de música, por hora, custa muito mais que isso. A escola tem cerca de 20 alunos, que vai de criança a adulto, onde a aluna mais nova tem oito anos.

Instrumentos

A escola da Sociedade Musical Santa Cecília, ensina instrumentos de corda ao sopro, que vai do violão a aulas de trombone, trompete, bombardino, flauta e clarineta. Ensina também bateria e instrumentos de percussão.

– Procuramos fazer esse trabalho social, de buscar as crianças para as aulas, tirando-as da rua. Temos um nome a zelar, uma tradição e uma história e tudo começou com o maestro Álvaro de Souza, onde a escola de música do município, recebe seu nome.

Márcia diz também que devido a situação financeira atual da Sociedade, a diretoria aluga o espaço para eventos.

– Precisamos desse dinheiro, mas selecionamos esse aluguel, porque temos que manter a boa imagem da escola, e disso não abrimos mão, porque não há dinheiro que pague nossa reputação diante da sociedade. Uma outra coisa que mudamos aqui dentro foi a regularização da banda. Hoje ela tem nota fiscal eletrônica e dessa forma podemos contratar qualquer grupo musical em nome da banda. Hoje somos uma empresa, uma instituição privada.

Os ensaios acontecem todas as terças e quintas-feiras, das 20h às 22h, na sede da Sociedade Musical Santa Cecília, que fica na rua Otávio Moreira, 127, centro de Barra de São João e o telefone para contato é (22) 99222-1222 (falar com Márcia). Tem também alguns ensaios que acontecem, na sede, nos finais de semana, para quem não pode participar durante nos outros dias.

– Não vivemos sozinhos, estamos sempre precisando de alguém para compor o nosso grupo musical. Além de nossas apresentações culturais, realizamos também as populares e solidárias. Queremos unir a música com o fazer o bem, e isso é bom para todos.

Comentários